Acompanhe nas Redes Sociais

7 News

O legado de Jack Ma para o empreendedorismo e a economia global

Bruno Chan, fundador da CrediGo, e Arthur Igreja, professor de inovação da FGV, analisam o legado do fundador do Alibaba

Publicado

on

Photo: Shutterstock

Na semana passada, Jack Ma, 55 anos, anunciou sua saída do Grupo Alibaba, criado por ele, em 1999. Ma é um dos responsáveis pela revolução digital da China e segue como inspiração de empreendedores do mundo todo.

O 21° homem mais rico do mundo construiu um patrimônio pessoal estimado em 40 bilhões de dólares, segundo a Bloomberg. Para além da fortuna e da marcante liderança carismática, o ex-professor de inglês se tornou uma espécie de símbolo da transição da economia chinesa para o modelo digital.

Hábil influenciador

Chan, possui ascendência chinesa e cursou o seu MBA na Universidade de Tsinghua, quando Ma era do corpo diretor da universidade. Depois de concluir a pós graduação permaneceu na China por mais seis anos.

“Ma é uma pessoa muito pé no chão quanto ao que acredita, no jeito como lida com as pessoas, em como motiva os funcionários e se apresenta ao público. Uma figura admirável. Quando ele aparecia na faculdade, era um ‘auê’, diz o empreendedor.

Segundo Chan, Ma se converteu num influenciador. “É provavelmente a pessoa mais famosa da China. O que ele fala, as pessoas começam a repetir. Suas ideias sobre o futuro, sobre como os negócios vão caminhar, tanto em e-commerce, em pagamentos, em IA. Eu tento implementar esse tipo de pensamento e cultura na CrediGo”, conta.

Para Igreja, professor da FGV, o Alibaba é um dos grandes símbolos da nova China, com seu conglomerado de soluções integradas, forte investimento em inteligência artificial e fluidez de experiência.

“É uma das empresas ícones de transição de um país que era visto como a fábrica do mundo, de baixo custo, e agora é visto como um país de tecnologia da informação, o que era impensável há 20 anos. O Alibaba talvez seja a primeira grande marca de projeção mundial a colocar a China no mapa do mundo de tecnologia”, afirma.

Rápido, barato e fácil

As empresas do Grupo Alibaba estão presentes em mais de 200 países. Ainda que não tenha chegado aos dois bilhões de usuários pelo mundo que Ma almejava.

Aliexpress, Taobao e Tmall enviam 12 milhões de pacotes por dia, enquanto a Amazon entrega três milhões. O mercado internacional ainda representa apenas 5% das remessas. No entanto, uma dessas companhias é a chave de todo crescimento e domínio comercial.

“O Taobao tem presença nacional na China com produtos baratos, de fácil acesso e entrega rápida, que muita gente usa todos os dias até por ter sido o primeiro e-commerce do país”, diz Chan.

“E não é só um e-commerce tradicional como conhecemos, com roupas, itens para casa, bugigangas. Também tem o supermercado comum que entrega em uma hora. Muitas vezes, voltando do trabalho para casa, eu fazia a minha encomenda semanal”, relembra.

O e-commerce mais popular da China, criado por Jack Ma em 2003, não se destaca apenas pela comodidade e eficiência, como também por ser uma espécie de propulsor da pujante economia interna chinesa, um hub de desenvolvimento regional que ajudou a estimular novos negócios no interior do país.

Empreendedor social

As Vilas Taobao, como são chamadas as lojas virtuais localizadas nas mais remotas regiões rurais da China, uniram pequenos empreendedores a consumidores onde as atividades econômicas minguavam, uma vez que os chineses seguem migrando para os grandes centros urbanos.

Reconhecidas pelo Banco Mundial como modelo de inovação, as Vilas Taobao estão disponíveis em aproximadamente 30 mil aldeias, em 700 distritos, para fornecer suporte e apoio logístico. Segundo o portal da embaixada chinesa no Brasil, cerca de 10 milhões de empregos na China rural, diretos e indiretos, estão ligados às Vilas Taobao, que revigoraram uma zona onde vive metade da população do país.

“O crescimento nas receitas dos residentes rurais fez com que o aumento nas compras a varejo online pelos compradores rurais tenha ultrapassado a dos residentes urbanos. Os residentes rurais gastaram 894,54 bilhões de yuans (131,47 bilhões de dólares) online em 2016, representando 17,4% do total nacional, de acordo com Ministério do Comercio”, informa a embaixada.

Simplicidade com humildade

Definitivamente, Ma já está no panteão do empreendedorismo global ao lado de figuras como Steve Jobs e Bill Gates. O início de sua trajetória marcada pela resiliência talvez seja uma das grandes marcas que entrará para a história.

“Fui rejeitado em uns trinta empregos. Tentei uma vaga na polícia, não me quiseram. Quando o KFC chegou à China, tentei um emprego lá. Eles entrevistaram 24 pessoas e contrataram 23. Eu fui o único que ficou de fora. Tentei entrar em Harvard dez vezes. Em todas fui rejeitado. Eu sei ser rejeitado”, disse no Fórum Econômico Mundial em 2015.

Apesar das excentricidades e das extravagâncias caricatas nas festas anuais da Alibaba, do dinheiro e do poder conquistado, ele nunca deixou essa simplicidade franca em segundo plano.

Mente inquieta

As ideias inovadoras e disruptivas do executivo também foram determinantes para elevar a economia chinesa a um novo patamar. O empreendedorismo digital, que impulsiona a construção de riquezas e o consumo, é muito mais atraente do que a pesada indústria manufatureira, marcada por baixos salários e jornadas extenuantes.

“A China estava muito atrelada a uma visão estatal de um desenvolvimento centralizado. Ma talvez seja o primeiro grande personagem, pessoa física, assim como os grandes empreendedores americanos do self-mademan dessa nova China. A cabeça dele e a força do foco em inovação, em fazer diferente, em romper barreiras foi absolutamente distinto daquilo que se conhecia por lá. Foi determinante para modernizar a cabeça do país e mostrar um novo caminho”, diz Igreja, da FGV.

Continue lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 News

É possível viajar no tempo?

Publicado

on

por

Voos Partiram em 2020 e Chegaram em 2019.

A virada do ano é uma grande festa em todo o planeta, mas e se você pudesse comemorar a chegada de 2020 duas vezes, em lugares diferentes?

Pode até parecer ficção, mas alguns voos realizados no último dia do ano permitiram que os passageiros “voltassem no tempo” e celebrassem o réveillon duas vezes.

Isso foi possível por causa da grande diferença horária em locais não tão distantes entre si. Alguns voos levam poucas horas para cruzar do extremo Leste para o extremo Oeste do planeta. No calendário, entretanto, os passageiros voltam um dia inteiro.

A opção mais rápida e econômica para voltar no tempo foi embarcar em um voo de Auckland (Nova Zelândia) para Rarotonga (Ilhas Cook). São duas opções de voo que duram três horas e 50 minutos e custam cerca de US$ 240 (R$ 980) na classe econômica.

O voo da Air New Zealand decolou de Auckland no dia 1º de janeiro de 2020 às 8h55 e chegou a Rarotonga às 13h45 do dia 31 de dezembro de 2019. Pela Virgin Australia, o avião partiu da Nova Zelândia às 16h45 e aterrissou nas Ilhas Cook às 21h40.

Outra opção foi voar entre Guam, um território dos Estados Unidos no Pacífico e Honolulu, no Havaí. Nesse caso a viagem é mais longa e bem mais cara.

O voo sem escala da United Airlines teve duração de sete horas e cinco minutos. O Boeing 777-200 decolou da ilha de Guam no dia 01/01/2020 às 7h40 e chegou em Honolulu às 18h45 do dia 31/12/2019. O preço da passagem costuma ser em torno de R$ 5.000. Para a viagem de Ano Novo, o valor passou de R$ 7.000.

Então, a viagem no tempo realmente existe…

Continue lendo

7 News

Palavras criam mundos.

Publicado

on

por

Neste limiar do Novo Ano, nunca devemos nos esquecer da importância das palavras da língua falada e escrita, seja de que nacionalidade forem.

Por isso a Internet e as redes globais de contato virtual representaram uma revolução tão grande na comunicação humana, nos curtos 20 e poucos anos de seu advento desde o final do século XX.

A palavra é o elemento-chave da Seven Ports para consolidar um novo conceito multidisciplinar de comunicação e negócios no mundo virtual do ciberespaço.

Mesmo não funcionando tão bem quanto o trocadilho em inglês da ilustração deste post, que cria mundos adicionando apenas UMA CONSOANTE (“L”), destacamos aqui a tradução, pois são somente três palavras, mas muito poderosas:

PALAVRAS CRIAM MUNDOS.

Feliz 2020, com muita saúde e prosperidade. São os votos da Equipe Seven Ports a todos os nossos clientes, usuários, fornecedores, navegantes e amigos.

Continue lendo

7 News

O monstro do Lago Ness na sua cozinha.

Publicado

on

por

A melhor coisa que já surgiu de um boato secular. *

“Nessie”, a inventiva concha que fica “em pé” dentro da sopa ou do feijão, pronta para servir.

* Referência à eterna lenda do ‘Monstro do Lago Ness’, na Escócia, alegadamente visto nos últimos 500 anos, mas jamais encontrado ou confirmado.

Para quem quiser comprar, nas Lojas Americanas online por vinte pratas (R$ 19,90) mais custos de frete.

shorturl.at/fkBDM

Coisas que queremos ter.

Continue lendo

Tendências